Postagens populares

  • Peanuts, o filme


    A editora L&PM divulgou há alguns dias, uma notícia super legal para os fãs da turminha de Charlie Brown! a data de estreia do filme no Brasil foi antecipada para 30 de outubro de 2015, uma semana antes do lançamento nos Estados Unidos, previsto para 6 de novembro.

    Com direção de Steve Martino e roteiro de Craig SchulzBryan Schulz – respectivamente filho e neto de Charlie Schultz, criador dos personagens - e Cornelius Uliano.

    Vejam o teaser divulgado pela 20th Century Fox e a Blue Sky Studios:



    Eaí, todos ansiosos?


    0 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Resurrection: a nova série de drama da AXN

    Eu vi o trailer por acaso e a série me chamou demais a atenção, a garanto que vai chamar a sua também.




    Fonte do texto abaixo: Veja (com alterações)
    A estréia aconteceu dia 9, a nova série intitulada Resurrection, drama que segue a linha de Les Revenants, produção francesa que conquistou o público e a crítica internacional.
    Criada por Aaron Zelman (The Killing), a série é uma adaptação da obra de Jason Mott, The Returned, título internacional de Les Revenants (no Brasil ficou como "Ressurreição". No posfácio do livro, Mott explica que se inspirou em um sonho que teve com sua falecida mãe para criar a história. Segundo os produtores, a trama que será desenvolvida na TV não será fiel ao livro.
    A série tem como objetivo mostrar como as pessoas reagem quando voltam a encontrar seus entes queridos, já falecidos. Ainda não está claro se a trama tem como objetivo único debater o tema da vida após a morte (e em que profundidade ele será debatido), ou se ele será utilizado apenas como referência para um outro fim, como parece ser o caso de Les Revenants, ou The 4400, série produzida entre 2004 e 2007, que mostrava o retorno de pessoas dadas como mortas ou desaparecidas.
    A história apresenta um fenômeno que ocorre na cidade de Arcadia. Pessoas já falecidas retornam para suas famílias com a mesma aparência que tinham quando morreram.
    Um deles é Jacob (Landon Gimenez), um menino de oito anos que se afogou há 32 anos. Ele acorda na China sem saber direito o que está acontecendo. Quando se encontra com Martin Bellamy (Omar Epps, de House), um agente da imigração, este se propõe a levá-lo para Arcadia, onde o menino diz que mora. Ao chegar na sua casa, Jacob reencontra seus pais, Harold (Kurtwood Smith, de That 70s Show) e Lucille Garland (Frances Fisher), agora em idade avançada.
    Tentando entender o que está acontecendo, eles chamam o xerife Fred Garland (Matt Craven), tio do menino que perdeu a esposa Bárbara quando ela tentou salvar a vida de Jacob. Intrigada com a volta do menino, Gail (Devin Kelly), uma jovem médica filha do xerife, também decide investigar o mistério.
    No elenco também estão Samaire Armstrong, como Eloise, que também reencontra o pai, morto há alguns anos; Sam Hazeldine, como Caleb, um homem misterioso que passa por Arcadia; Mark Hildreth (V), como o pastor Tom Hild, que tem sua fé questionada quando os mortos voltam à vida; Nicholas Gonzalez, como assistente do xerife Connor Cuesta; e Kevin Sizemore como Gary Humphrey.
    Além da série trazer a mesma proposta de Les RevenantsResurrection também traz alguns personagens parecidos, ao menos na descrição. As duas produções iniciam com o retorno do filho de alguém. Um garoto é o centro do mistério. Tanto em Les Revenants quanto em Resurrection temos um padre/pastor/religioso que tem sua fé testada com a volta dos mortos. Em Les Revenants, o menino é acolhido por uma enfermeira que mais tarde se unirá à ex-amante, uma policial, para investigar o caso (a primeira temporada encerra neste ponto). Em Resurrection, a volta do garoto leva uma médica e o pai xerife a investigar o caso. Nas duas produções o fenômeno parece estar limitado à cidade onde os personagens moram.
    A crítica americana, que conferiu os dois primeiros episódios, não gostou muito da série, considerando Les Revenants mais interessante de acompanhar que Resurrection. Segundo eles, a primeira traz uma abordagem mais profunda e detalhada da situação dos personagens quando reencontram seus parentes mortos. Ao passo que a série da ABC mantém os personagens em um nível mais superficial, resvalando no melodrama.
    Vale a pena lembrar que a rede NBC também desenvolve um projeto de série com o mesmo tema para a Temporada 2014-2015. Em Babylon Fields, a história apresenta a cidade de Babylon, no estado de Nova Iorque, onde os mortos voltam à vida e tentam se reconectar com seus familiares. Enquanto isso, seus corpos se regeneram rapidamente, tornando-os melhores do que eram, o que levanta a suspeita de que eles sejam o próximo estágio da evolução humana. Um piloto está sendo produzido para avaliação.
    A primeira temporada tem oito episódios produzidos pela Plan B, produtora de Brad Pitt, em parceria com a Brillstein Entertainment e a ABC Studios. O piloto foi dirigido por Charles McDougall.
    No Brasil, a série estreia no dia 10 de abril pelo AXN Brasil.
    A editora Verus, já anunciou que vai trazer o livro "Ressurreição" para o Brasil também em abril.

    Assista ao trailer e tire suas próprias conclusões de se vale ou não a pena conferir.

    0 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Trailer da adaptação de "The Maze Runner"


    Cara quando vi esse trailer... arrepiou. A cena final me fez saltar da cadeira - quase literalmente -.

    Na segunda-feira (17) a 20th Century Fox divulgou o primeiro trailer oficial da adaptação de "Maze Runner - Correr ou Morrer" de James Dashner. O filme é de Wes Ball, com elenco composto por Dylan O'Brien, Thomas Brodie-Sangster, Will Poulter e Kaya Scodelario.

    Em um mundo pós-apocalíptico, o jovem Thomas é abandonado em uma comunidade formada por garotos após sua memória ter sido apagada. Logo ele se vê preso em um labirinto, onde será preciso unir forças com outros jovens para que possa escapar.

    A análise feita pelo autor abaixo, foi traduzida pelo site The Maze Runner Brasil, original da Enterteinment Weekly. Veja: 

    James Dashner: "O trailer começa exatamente como o livro. Embora eu descreva a seqüência de abertura como uma coisa sombria no livro, isso não faria muito sentido para um filme. Acho Wes Ball capturou o espírito daquele momento crucial da abertura tão perfeitamente, mostrando o terror nos olhos de Thomas e da sujeira e suor e movimentos bruscos de tudo. Os sons são tão perfeitos, a marcha e grichos e choques metálicos. Eu fiquei arrepiado quando as portas se abriram."

    Lançamento previsto para 18 de setembro no Brasil.

    Assista:

    2 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • 4Minute Comeback - Whatcha Doin' Today


    Hoje (domingo, 16) foi anunciado pelo canal 4Minute Official o Comeback de 4Minute com o vídeo "Whatcha Doin' Today".

    Criado por Brave Brothers, a canção é a faixa-título de seu quinto mini-álbum "4Minute World", que será lançado na próxima segunda-feira no dia 17 de março. 

    Um vídeo cheio de cenas divertidas e engraçadas, inclusive no banheiro. É uma mistura de festa do pijama e noite entre garotas. Super divertido, mas sem deixar de lado a parte sensual e a abertura "triunfal" por claro, Hyuna. E eu não podia deixar de comentar, Hyuna aparece novamente, de visual novo. Cara, como ela muda de cabelo! A pouco tempo, após o corte radical, e madeixas claras, nesse vídeo ela está com o cabelo castanho escuro. Mesmo assim, está aprovado!


    Recentemente foi anunciado que HyunA em dueto com Gayoon "Come Back", havia sido considerado inapto para ser transmitido na SBS.

    Sem mais delongas, assista ao vídeo!

    0 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Filme baseado no game "The Last of Us"

    Vamos manter o foco e falar sobre mais essa novidade que me deixou super ansiosa. Quem acompanha o mundo dos games, deve saber a quantidade de novas notícias que surgem todos os dias e é até difícil acompanhar. Eu gostaria de postar tudo aqui, mas infelizmente sou uma só.
    Mas essa notícia não tinha como não ser contada aqui no blog. Recentemente eu tive a felicidade de jogar essa beleza de jogo, saiba tudo sobre clicando aqui, por isso me senti na obrigação de correr e contar para quem ainda não sabe, mais detalhes sobre o filme baseado no game que vem aí.



    O elogiado game da Naughty Dog (mesma produtora da série de Uncharted, que também já joguei, mas não salvei) anunciou recentemente pela Sony Pictures, que haverá uma adaptação direta do game.

    Em entrevista para o IGN durante o BAFTA, na quarta-feira (12), Neil Druckmann, roteirista do game, confirmou que o filme vai se basear na trama do jogo, mas não deu detalhes de como será feito, pois ainda está em fase de planejamento. "Como vamos encaixar isso no cinema e adaptar as propriedades únicas que essa mídia tem ainda não está decidido. Ainda estamos nos trabalhos iniciais", disse.

    Ele revelou também que a Naughty Dog está trabalhando em mais um DLC Multiplayer e que a equipe da desenvolvedora ainda está trabalhando em sessões de brainstorm para definir o que será de The Last of Us 2.

    Na premiação, o game conquistou Jogo do Ano, Ação e Aventura, História, Áudio e Performance, com Ashley Johnson no papel de Ellie.

    1 comentários:

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Resenha: O Diário de Anne Frank



    Classificação: 4,5 estrelas
    Título original (em inglês, do original alemão): The Diary of a Young Girl
    Editora: BestBolso
    Autor: Anne Frank / edição por Otto H. Frank e Mirjam Pressler
    Nº de páginas: 373
    Tradução: Alves Calado
    Lançamento: 2013






    "O relato pessoal mais emocionante sobre o Holocausto continua surpreendendo e impressionando!"
    The New York Times Books Review

    "Esta edição é um memorial valioso para a humanidade."
    The Times

    "Um dos livros mais importantes do século XX."
    Guardian

    Como começar a escrever sobre esse livro?
    Pensei muito sobre isso.
    Essa edição caiu em minhas mãos através da minha irmã. Acho que se isso não tivesse acontecido, eu simplesmente não teria lido esse livro. Foram vários dias de leitura (com pouco tempo de dedicação cada dia) mas no momento em que terminei de ler o Posfácio e li a palavra "fim" abaixo, fiquei com o livro nas mãos durante um tempo pensando. Pensei muito. Todos deveriam ler esse livro, todos. É um livro emocionante, um relato real que te atinge de uma forma que é bem difícil explicar.

    Vamos ao enredo     

    Antes de falar do livro em si, quero contar um pouco em quê mundo Anne iria surgir.

    Em meados do fim da 1ª Guerra Mundial, em 1918, a Alemanha encontrava-se "rebaixada" e em crise. Após o país assinar o acordo de paz para manter o fracassado exército, (conhecido como o "Tratado de Versalhes") em que proibia a fabricação de todos os tipos de armas, obrigava um pagamento de indenização aos países vitoriosos pelos danos caudados pela guerra e devolução de terras conquistadas (em outras palavras invadidas), fez com que o país entrasse em desgosto e a população começou a se sentir revoltada com a situação.

    Adolf Hitler surge então. Defensor da supremacia da raça ariana, o mesmo alegava que a Alemanha deveria se reerguer com união, "num só povo, num só império, num só líder". Os judeus dentre outras etnias, segundo eles, deveriam ser executados. De acordo com Hitler, a 1ª Guerra foi um fracasso devido aos judeus que "invadiram" a Alemanha e roubaram o emprego do povo, levando as pessoas à miséria. Ele passou a influenciar e espalhar avidamente o fato de que a culpa daquele fracasso era dos judeus.

    O povo viu em Hitler a salvação do país, e o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (no original Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, NSDAP), também conhecido por Partido Nazi ou Nazista, uma abreviatura do nome em alemão (Nationalsozialistische) começou a governar e crescer sendo apoiado pelo próprio povo, que passou a aceitar a ideia(não sei se todos), junto a seu, mais tarde, proclamado Führer (líder), Hitler.

    Soldados e agricultores, moradores e novos alistados, de diversas classes sociais, tornaram-se então adeptos do novo partido, formando assim a Alemanha Nazista.
    Como ditador, Hitler passou a ordenar execução de milhares (que depois tornou-se milhões) de judeus, comunistas, soviéticos, homossexuais, negros, entre outros, dentro dos campos de concentração. Esse episódio é conhecido como o Holocausto.

    Em meio a isso, Anneliesse Marie Frank nasceu, em 12 de junho, de 1929 em Frankfurt em Main, na Alemanha. Devido ao Nazismo, Anne e sua família foram obrigados a abandonar a cidade e migrar para Amsterdã, na Holanda, que é onde se desenrola todos os eventos contados por Anne em seu diário.
    ANNE FRANK
    Em julho de 1942, Margot Frank (irmã de Anne) recebeu uma carta do Escritório Central de Emigração Judaica, ordenando que ela se apresentasse em um dos campos de concentração nazista.
    Os pais sem aceitar a situação, claro, decidiram que deveriam abandonar a casa e vidas atuais, as garotas abandonam a escola, e com ajuda de alguns amigos do pai, eles passaram a viver escondidos no anexo do prédio onde Otto Frank (pai de Anne) trabalhava, que Anne passou a chamar em seu diário como "O Anexo Secreto". Lá, a família Frank passou a viver ao lado da família Van Pels (chamados de van Daan no livro), e pouco depois com um dentista.
    CASA DA ANNE
    Os trabalhadores do escritório e alguns dos seus familiares, passaram a ajudar os confinados, fornecendo alimentos, roupas, objetos de necessidade básica, e outros. Com a guerra altamente ativa, a moeda pouco a pouco foi perdendo o valor, e pouquíssimo se pagava mesmo por ouro. Isso foi dificultando cada vez mais a vida daquelas pessoas, e o "Mercado Negro" era um dos instrumentos essências para que eles pudessem continuar vivendo. O roubo tornou-se comum e diário. 
    A única fonte de informações dos acontecimentos exteriores que eles recebiam, era de seus amigos, além do rádio que eles mantinham escondido.

    O que lemos nesse livro, é exatamente o que o nome diz, um diário. Nele, Anne narra das mais banais as mais emocionantes situações que viveu no Anexo Secreto, contou como as vezes os alimentos armazenados estragavam, como os amigos os ajudavam a conseguir alimentos, o esforço que eles faziam para não chamarem a atenção e viverem completamente escondidos. Havia vizinhança ao redor, por isso, assim que as famílias chegaram no prédio, cobriram todas as janelas, para que ninguém pudesse ver nenhuma fresta de luz ou movimento no interior.

    No decorrer, eles passam por situações terríveis, mas ainda assim, apesar dos problemas, tentam viver como uma grande família. São diversas brigas e desentendimentos entre eles. 


    PETER/ ANNE
    Anne vive até mesmo um romance com Peter Van Pels, e escreve em seu diário todos os sentimentos e desejos, a necessidade que ela passa a ter por estar ao lado do seu amor. Ela conta também, o desprezo que sente por sua mãe, e critica todos os moradores do Anexo sem exceção. No diário ela se expressava abertamente, contava todas as suas incertezas e angústias.

    Foram cerca de 2 anos de confinamento, e durante esse período, Anne escreveu até mesmo sobre sua sexualidade. Mesmo tendo tão pouca idade (de 13 a cerca de 15 anos, foi o período em que ela escreveu no diário) existe algumas passagens, que é difícil crer que podem ter sido escritos por uma adolescente, como ela mesma diz em tantos momentos, tão jovem e inexperiente.

    DIÁRIO DA ANNE
    DIÁRIO DA ANNE

    Confesso, que não concordei com muita coisa que Anne escreveu, principalmente com relação a sua mãe. Mas ao pensar no que todos eles passaram, as tantas dificuldades, a sensação de não poder sair, ficar preso em um local por quase dois anos... deve ser realmente angustiante.

    Com certeza uma das partes mais emocionantes do livro, é o final. É inexplicável, gente, inexplicável. Eu não sei definir o que senti. 




    Sobre o Posfácio do livro      

    Aviso de Spoiler - Se não leu o livro ainda, ou não conhece a história (o que acho improvável) não leia esse trecho.

    O que me deixou mais chocada, foi o fato de que apenas três dias após a última carta escrita por Anne, em 4 de agosto de 1944, figuras invadiram o prédio, dentre eles um sargento da SS uniformizado, e pelo menos três membros holandeses da Polícia de Segurança, armados, e prenderam todos que ali estavam, levando os objetos de valor e dinheiro que restava.
    Depois de presos, os oito moradores do Anexo foram levados para uma prisão em Amsterdã e depois transferidos para Westerbork, campo de triagem dos judeus no norte da Holanda. Em 3 de setembro de 1944, foram deportados e chegaram três dias depois em Auschwitz (Polônia).

    Hermann van Pels (van Daan), morreu na câmara de gás de Auschwitz em outubro ou novembro de 1944. E sua esposa, Auguste van Pels (van Daan) foi deportada de Auschwitz para mais dois lugares, indo parar em Theresienstadt, e provavelmente em outro campo de concentração depois disso. Não se sabe a data de sua morte.
    O que me deixou mais chocada, foi o destino do filho, Peter van Pels (van Daan), que foi obrigado a participar da Marcha da Morte, que para quem não sabe, foi uma deportação que judeus foram obrigados a fazer a pé, pois os nazistas, dentre outros "motivos", queriam poupar combustível. Foram momentos angustiantes de caminhada e pelo 2 milhões de judeus morreram durante o longo trajeto. Quando algum deles paravam de andar por extremo cansaço, eles simplesmente eram fuzilados. Houve uma fila interminável de mortos durante aquela marcha, e poucos eram enterrados em covas rasas, a maioria eram deixados para os abutres. Na marcha de 16 de janeiro de 1945, de Auschiwitz até Mauthausen (Áustria), Peter morreu em 5 de maio de 1945.
    Fritz Pfeffer (Albert Dussel (o dentista)) morreu em 20 de dezembro de 1944 no campo de concentração de Neugamme.
    Edith Frank (a mãe de Anne) morreu em Auschwitz-Birkenau, em 6 de janeiro de 1945 de fome e exaustão.

    Margot e Anne Frank foram transportadas de Auschwitz no fim de outubro para Bergen-Belsen. A epidemia de tifo irrompeu no inverno 1944-1945, matando assim Margot e alguns dias depois, Anne.

    Fim dos Spoilers

    Otto Frank foi o único a sobreviver aos campos de concentração. Depois da libertação de Auschwitz por tropas russas, ele foi repatriado a Amsterdã em 3 de junho de 1945, mudou-se em 1953 para Basileia (Suiça), casando-se mais tarde.
    Otto Frank morreu em 19 de agosto de 1980, depois de dedicar sua vida a passar o diário de sua filha para o mundo.

    Acho que esse livro é o que mais marquei, está quase inteiro com marcações feitas por mim! Eu pretendia colocar alguns trechos do livro aqui, mas o post já ficou muito longo, então simplesmente devo acrescentar: leiam.

    5 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Novo single da cantora BoA / Shout It Out

    Fazia um tempo que eu não falava sobre ela por aqui. Vamos lá com novidade!


    Diferente dos últimos trabalhos que apenas os short PVs vinham sendo lançados, a Avex Network (gravadora japonesa da BoA, parceira da SM Entertainment) lançou a versão completa do vídeo de BoA, o single é japonês e intitulado: Shout It Out.
    No clipe, BoA retorna com o estilo street dance e arrasa nas coreografias. Ao contrário dos últimos lançamentos, não tem nenhum drama no clipe, pois o clima é bem alegre. Também não tem grandes cenários, são fundos sólidos com BoA e dançarinas na maioria mulheres (ao contrário de Disturbance, por exemplo).
    Assista!

    0 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Explicação do clipe "Space Bound" - Eminem


    Não é segredo pra ninguém o fato de que eu gosto do Eminem. Ele tem uma história complicada, muitas polêmicas já o envolveram e ele já passou por muitas dificuldades. Mas realmente gosto do som dele.
    Hoje vim falar sobre uma música da qual gosto muito. "Space Bound".
    Eu estava passeando pela internet afim de entender mais o que essa música representava. Sabemos que o Eminem usa muitas metáforas em suas letras e as vezes acaba-se não entendendo o que exatamente ele estava querendo dizer sobre alguma coisa. A música é pesada, tem uma história um tanto que pessimista. Mas mesmo assim, acho realmente bonita. O Eminem é uma criatura totalmente desacreditada do amor. É uma pena, mas enfim, não vou me alongar nisso.

    Encontrei uma página sobre Rap, e um texto simplesmente GENIAL escrito por um fã e publicado na página. Achei o texto tão sensacional, que decidi publicar aqui. Claro, com todos os créditos! 

    Assista ao vídeo primeiro, e fique bem atento a letra da música. 



    Se preferir, veja a versão legendada por "Eminem legendas HD"



    Explicando o clipe Space Bound. (Explicação feita por um fã.)
    Fonte: Informativo & Frases - Hip Hop

    O clipe é marcado por diversas representatividades. No caso, os principais são:

    ● Sasha Grey: a atriz pornô, única mulher do vídeoclipe, representa o AMOR do Eminem;
    ● Carro: o carro é a representação do coração do Eminem;
    ● Eminem narrador: aquele que senta no banco de trás do carro e fica no balcão da lanchonete;
    ● Eminem apaixonado: o que segue a todo momento a Sasha e acaba se matando.

    O clipe se inicia em um cenário nebuloso e escuro. Este cenário representa o mundo do Eminem, pois como diz no início da música, ele é solitário e sem sentimentos. Então Sasha Grey chega de carro. É o amor invadindo o seu mundo. O Eminem apaixonado então se senta no banco da frente. E o Eminem do banco de trás, o narrador, diz junto a música: "o amor é traiçoeiro, ele pode se voltar contra você/o feitiço pode se voltar contra o feiticeiro, eu vou te mostrar". É então que toda a trama se inicia. Toda a história do videoclipe, até o momento do tiro, nada mais é do que uma suposição do que aconteceria se o Eminem se entregasse ao amor. É ele mostrando o quão maldoso o amor pode ser.

    Sasha dirige o carro - que representa o coração do rapper; veja, é ela quem o conduz - de um jeito desbocado. Larga o volante para fumar (nesta cena, note a feição de dor do rapper; é ele sofrendo pelo modo em que ela o trata e trata o amor dele por ela). Logo em seguida, abandona o carro para entrar na lanchonete.

    Ao sair do carro, ela consequentemente está abandonando o amor do Eminem por ela. Ele então segue ela até a lanchonete. Lá, a câmera se divide entre o Eminem apaixonado e o narrador. Sasha, ainda de um jeito desbocado, mexe no celular, dando a entender que estava recebendo ligações e SMS de amantes. Ela vai ao banheiro e Eminem pega no aparelho para confirmar suas superstições. Ela então sai da lanchonete. E, ao invés de voltar para o carro (o coração do Eminem, que à ela pertence), vai para o motel. Ou seja, Eminem, apesar das traições, ainda queria ela de volta e ela não voltava. 
    Note como ele a segue; é como se ele não raciocinasse e estivesse totalmente perdido e parado no tempo (a cena que dá o close no relógio de pulso demonstra isso, já que ele não marca as horas).

    Ao perceber o quão tolo ele foi (a epifania é acompanhada pelos flashs do porta-malas cheio de lixo - que demonstra o quão desbocada ela era com o coração do Eminem - e a cena da chamada restrita que ela recebia de seus amantes) ele parte pra cima dela. E então, Sasha misteriosamente desaparece. Por que? Porque ela está lá para representar o amor do Eminem. Puto por tudo o que ela fez, a raiva passou a dominar o seu coração - e não o amor. Se o Eminem não mais a ama, Sasha não mais existe. 

    O Eminem apaixonado então se mata, o que acaba afetando o Eminem narrador (e o verdadeiro). A história, a superstição então acaba (Eminem narrador e real já tinha mostrado o quão maldoso o amor pode ser), o que acaba acontecendo as cenas onde tudo retrocede ao ponto inicial do clipe.

    Cenas que merecem destaque:

    Vidro quebrado: Após se suicidar, existe uma cena onde o Eminem quebra a janela do motel. Logo, relembrei daqueles filmes de ação onde o cara tá em algum prédio cercado de bandidos e, para escapar da situação, o cara salta para fora da janela. A analogia aqui é a mesma. A cena nada mais demonstra do que o Eminem apaixonado saindo fora dessa emboscada que é o amor.

    Lobo do início do videoclipe: Lobo é o animal que maior representa a união entre os iguais, já que a raça vive em bando/matilha. Eminem diz ser um cara solitário. Então, a cena demonstra um só lobo, sem mais ninguém. O lobo representa o Eminem, remontando a estória do "Lobo Solitário".

    Lobo Solitário é um mangá que narra a história de um samurai. O samurai em questão era ótimo em táticas de guerra e manuseio da espada. Porém, era só o que ele sabia fazer. Ele era péssimo, por exemplo, em se relacionar com as pessoas. Em diversas músicas, o Eminem reforça dizendo que tudo o que ele tem é o rap/a música (vide Echo). Na música Take From me, por exemplo, ele diz: "não que eu queira soar como um mártir, mas música é tudo o que eu tenho, além das minhas filhas". 

    Conclusão: Eminem explica o motivo do por que não se apaixonar. Note que o Eminem narrador, aquele que explicou as razões, também só canta nas partes da música onde são desferidos palavrões e xingamentos, tal como: "então não me pergunte por que eu não me apaixono por essas vadias". Ele é agressivo e mal-educado. E eis a explicação do por que nesse vídeo.

    4 comentários

    Gostou?
    Dê sua opinião!
    Obrigado pela visita ;D

  • Copyright © 2017 - Zutto Kawaii - Todos os direitos reservados

    Zutto Kawaii Powered by Blogger - Designed por Johanes Djogan